Las Vegas é conhecida como a cidade dos cassinos, um centro de entretenimento famoso por seus hotéis luxuosos, shows de música, bares, restaurantes e, claro, suas máquinas caça-níqueis. Mas já parou para pensar em como esses jogos podem ser tão atraentes para alguns jogadores a ponto de se tornarem um vício difícil de eliminar? O livro Addiction by Design: Machine Gambling in Las Vegas, escrito pela antropóloga Natasha Dow Schüll, busca responder a essa pergunta.

No livro, Schüll explica como as máquinas caça-níqueis foram modificadas para se tornarem cada vez mais viciantes, em um processo de design inteligente aliado à psicologia humana. As luzes atrativas, os sons empolgantes e os bônus e prêmios aparentemente fáceis de alcançar são alguns dos elementos utilizados para criar uma experiência empolgante e que gere uma sensação de controle nos jogadores.

Contudo, esse controle é uma ilusão, uma vez que as máquinas caça-níqueis são programadas para proporcionar uma experiência que não é totalmente aleatória. Conforme os jogadores apostam e perdem dinheiro, os jogos são adaptados para aumentar as chances de ganhar, incentivando os jogadores a continuar apostando mesmo que estejam perdendo. Esse ciclo de perdas e ganhos aleatórios é fundamental para a criação de um estado de fluxo, no qual o jogador está totalmente imerso na atividade e esquece tudo ao seu redor, gerando um efeito viciante.

Além disso, as máquinas caça-níqueis são projetadas para fornecer feedback constante aos jogadores, seja visual, auditivo ou tátil. A cada aposta realizada, o jogador é recompensado com um sinalizador que indica se a jogada foi bem-sucedida ou não. Isso gera um estímulo constante para os jogadores, que buscam repetir a sensação de ganhar dinheiro, mesmo que seja em pequenos incrementos.

Com essas estratégias de design, as máquinas caça-níqueis tornaram-se o negócio mais lucrativo para os cassinos de Las Vegas. Em 2018, essas máquinas geraram uma receita de US$7,7 bilhões, quase o dobro da receita gerada pelas mesas de jogos tradicionais, como pôquer e blackjack.

No entanto, o vício em jogos de azar pode ser uma enfermidade séria, com consequências devastadoras para a vida dos jogadores e suas famílias. Em razão disso, muitos estados nos Estados Unidos estão adotando políticas públicas para regulamentar o funcionamento dos cassinos e proteger os jogadores.

Por fim, o livro de Schüll é uma análise abrangente de como as máquinas caça-níqueis são projetadas para se tornarem viciantes, e como essa estratégia se transformou em um negócio multimilionário em Las Vegas. É uma leitura obrigatória para quem quer entender o mundo dos cassinos e como eles afetam a vida de seus jogadores.